[Fiz a Travessia] Decidi colocar minhas habilidades e experiência a serviço das pessoas, em vez de grandes corporações.

O entrevistado de hoje é o Favio Bittencourt Baroboskin, da série “Fiz a Travessia”, um projeto para inspirar e incentivar pessoas a fazerem uma transição para serem mais felizes, satisfeitas e realizadas no trabalho e na vida.

Nome: Flavio Bittencourt Baroboskin

Idade: 47 anos

Antes fazia: Atuei em vários países da América Latina, EUA, África e Oriente Médio como executivo da área de Tecnologia. Trabalhei muitos anos gerenciando equipes e projetos internacionais para empresas multinacionais em vários ramos.

Hoje faz: Atuo numa consultoria que fundei com duas sócias para difundir a Economia Associativa, uma visão econômica com base na Antroposofia. Além disso, atuo como Coach, palestrante e professor.

1. Por que você faz o que você faz hoje?

Eu passei por processos de auto-conhecimento e aprendi o quanto isso é vital pra gente viver melhor. Através das finanças pessoais e do coaching, eu quero ajudar pessoas que querem olhar o presente e planejar seu futuro.  

2. Por que você decidiu sair da onde estava?

Eu gostava do meu trabalho, nunca tive grandes questões com a minha carreira original. Viajava bastante (coisa que eu gosto), lidava com pessoas de diferentes culturas e tinha uma remuneração bem satisfatória. Mas com o passar dos anos eu senti que faltava uma motivação genuína, que eu poderia contribuir mais colocando minhas habilidades e experiência conquistadas ao longo de tantos anos a serviço das pessoas e nem tanto das grandes corporações.

3. Como fez essa mudança?

Foi um processo longo, mais de 2 anos, coletando informações e planejando. Envolvi a namorada e a filha, conversamos e recebi muito apoio no que eu estava sentindo e o que pretendia fazer. Em seguida, eu comecei a conversar com pessoas próximas e colegas de trabalho pra tentar identificar quais os meus diferenciais, o que eu faço bem e com naturalidade. Percebi que eu era reconhecido como um bom ouvinte, bom com números e finanças, bom gestor de pessoas e de processos, uma pessoa confiável pra se contar um segredo e que aparenta bastante tranquilidade para lidar com conflitos e situações de pressão. Comecei a estudar, fazer cursos de aprofundamento em gestão de pessoas e consultoria, aproveitar todas as oportunidades de aprendizado (prático e teórico) que apareceram. Dessa forma, quando chegou o momento de me desligar da última empresa, uma boa parte do novo caminho já estava pavimentado.

4. Quais foram os maiores desafios que passou para fazer essa transição?

Criar coragem pra sair da zona de conforto, fazer uma autocrítica sincera para entender as minhas reais motivações

5. Como ficou a questão de grana em meio a incerteza?

Inicialmente eu procurei reduzir despesas e aumentar a poupança, planejar o custo dos cursos e certificações que eu pretendia fazer. Sem grandes neuras, comecei a olhar pros meus gastos e eliminar o que não fazia sentido, um exemplo: troquei um carro de luxo por um sedan médio (que me atendia perfeitamente) que me dava a metade do gasto de manutenção. Quando eu “virei a chave”, tinha o suficiente para pagar todas as formações que eu ainda precisava e a minha parte das contas da casa por 18 meses. Passados 10 meses, eu já consigo pagar 70% das contas sem recorrer à reserva financeira. 

6. Qual necessidade do mundo você, através do trabalho, está ajudando a sanar? 

Promover diálogos mais claros e objetivos entre os vários atores de um projeto, educação financeira como promotora de auto conhecimento, difundir a Antroposofia.

7. Qual futuro você está ajudando a criar? 

Um futuro com pessoas mais conscientes do que os seus atos representam para elas e para os outros, um futuro com pessoas que têm capacidade de lidar melhor com suas escolhas.

8. Que dicas você daria para quem quer ter um Trabalho com Significado?

Somente uma: tenha um encontro sincero com você mesmo. Quanto mais você souber sobre si, maiores serão as suas chances . Entenda seus valores, suas crenças, suas capacidades, do que você não abre mão, que marca você quer deixar nas pessoas e no mundo.

Se você quer fazer a sua transição para um Trabalho com Significado, faça o Programa Travessia.

ESSA HISTÓRIA FOI ÚTIL PARA VOCÊ?

Se sim, leia outras histórias sobre transição!

Se você gostou do texto, clique no ❤ aí embaixo. Fazendo isso, você ajuda essa história a ser encontrada por mais pessoas.