Silvio Junqueira Filho deixou os fundos de investimento para se dedicar à sua paixão: música

silvio junqueira lella sa trabalho blog.jpg
O entrevistado de hoje é o Silvio Junqueira Filho, da série “Fiz a Travessia”, um projeto para inspirar e incentivar pessoas a fazerem uma transição para serem mais felizes, satisfeitas e realizadas no trabalho e na vida.
Nome: Silvio Junqueira Filho
Idade: 39 anos
Antes fazia: gestor de fundos de investimento em participações em empresas (private equity)
Hoje faz: gestor de investimentos na indústria da música e segmentos relacionados
 
1. Por que você faz o que você faz hoje?
Porque posso dedicar minha energia e experiência profissional a um assunto que eu mais amo, música. Sou músico amador nas horas vagas, e isso faz meu coração bater e preenche minha alma. Tenho prazer em dedicar horas e energia para estudar, viajar, escrever, negociar e vender minhas ideias e projetos na área musical. Tudo flui mais naturalmente. Dizem que meus olhos brilham mais agora do que antes quando falo de negócios.
2. Por que você decidiu sair da onde estava?
Porque apesar de gostar muito dos desafios e atividades de gestor de investimentos, não me identificava com a cultura empresarial da indústria (que no fundo é um somatório da cultura e forma de pensar de cada pessoa que nela atua) e não tinha mais prazer em me aprofundar em assuntos/temas/indústrias que não me interessavam e não me estimulavam naturalmente.
3. Como fez essa mudança?
Me planejei financeiramente e psicologicamente durante um ano, com uma saída negociada de onde trabalhava antes. Tive um período de transição em que trabalhei (e ganhei por) tempo parcial. Estudei bastante (menos do que o ideal, mas o bom é inimigo do ótimo) sobre a indústria da música antes de iniciar a transição. 
4. Quais foram os maiores desafios que passou para fazer essa transição?
Medo de acabar com menos dinheiro ou mesmo sem dinheiro foi um dos desafios que tive de enfrentar até ter auto-confiança e desprendimento com relação ao assunto. Outro desafio com o qual ainda estou lidando é o de trabalhar por conta própria, que exige muito mais auto-disciplina. Trabalhar de forma autônoma é uma novidade para mim que sempre fui empregado e tive alguém cobrando resultados. E olha que eu sou bastante disciplinado com minhas atividades e rotina diária...! O terceiro desafio com que ainda estou lidando é o de desenvolver contatos e relacionamentos na área para gerar oportunidades de negócios. Já realizei meu primeiro investimento e também fechei meu primeiro cliente/projeto de assessoria/parceria. As coisas estão evoluindo.
5. Como ficou a questão de grana em meio a incerteza? 
Tenho ainda alguma reserva e alguma ajuda de meus pais com que posso contar, o que sem dúvida foi um fator decisivo para iniciar esta transição. No entanto, sei que tenho um prazo não muito longo para voltar a ter renda, o que funciona como um estimulante adicional para trabalhar cada vez mais e de forma eficaz para gerar negócios.
6. Qual necessidade do mundo você, através do trabalho, está ajudando a sanar? 
Levar alegria e felicidade a uma quantidade cada vez maior de pessoas através da música, seja ela de que gênero, país ou qualidade for. A música é das artes mais abstratas e complexas, e ainda assim uma das mais populares. São pouquíssimas as pessoas que não gostam de música e não se emocionam quando ouvem uma música tocante. Além de levar minha própria música como artista amador, quero multiplicar este efeito viabilizando outros negócios e artistas.
7. Qual futuro você está ajudando a criar?
Um futuro em que mais e mais pessoas tenham acesso a música, e do meu ponto de vista, uma rede de relacionamentos no meio musical que possa alavancar oportunidades de criar e difundir minha própria música ao longo de minha vida. Apesar de não ser o meu objetivo como negócio, oportunidades artísticas oriundas de minha atual e futura rede de relacionamentos no setor podem surgir. Assim, eu acredito que a probabilidade de eu me divertir e me realizar ao longo da vida como músico amador ou mesmo profissional será muito maior se eu estiver envolvido no meio.
8. Que dicas você daria para quem quer ter um Trabalho com Significado?
Se nunca fez ou fez de forma superficial, fazer uma boa e profunda terapia ajuda a se conhecer melhor e superar seus medos e identificar suas paixões e habilidades.
Planejar-se financeiramente e guardar um pouco dinheiro para uma transição mais tranquila e com foco total naquilo que move a alma sem se preocupar no curto prazo com renda.
Se teu casamento, namoro ou relacionamento amoroso não vai bem, resolva isso primeiro. Uma relação amorosa problemática vai consumir uma energia que certamente vai fazer falta para uma transição mais rápida e eficaz!
Se tua saúde, alimentação e espiritualidade também não vão bem, foco nisso em paralelo. Corpo são, mente sã. Mais saúde e lucidez certamente garantirão mais energia para tua transição

    A próxima edição do Programa Travessia começa no dia 14 de setembro. Se você se sentiu inspirado e também deseja fazer uma transição, se inscreva!

    ESSA HISTÓRIA FOI ÚTIL PARA VOCÊ?

    Se sim, leia outras histórias sobre transição!

    Se você gostou do texto, clique no ❤ aí embaixo. Fazendo isso, você ajuda essa história a ser encontrada por mais pessoas.