ESCOLHAS

"O importante, certamente, é estar consciente sem escolha, porque escolha gera conflito. Quem escolhe está confuso, por isso escolhe; se ele não está confuso, não há escolha. Só a pessoa que está confusa escolhe o que deve fazer ou o que não deve fazer.

O homem que é lúcido e simples não escolhe: o que é é. A ação baseada numa ideia é, obviamente, ação de escolha, e tal ação não é libertadora, ao contrário, ela só cria mais resistência, mais conflito, de acordo com esse pensar condicionado. Assim então, a coisa importante é estar consciente de momento a momento sem acumular a experiência que a conscientização traz, porque no momento em que você acumula, você está consciente apenas de acordo com essa acumulação, de acordo com esse padrão, de acordo com essa experiência. Isto é, sua consciência está condicionada por sua acumulação e assim não há mais observação, mas simplesmente interpretação.

Onde há interpretação, há escolha, e escolha cria conflito; e no conflito não pode haver compreensão. Pensamento e pensador são um, mas é o pensamento que cria o pensador, e sem pensamento não há pensador. Então a pessoa tem que estar consciente do processo de condicionamento, que é pensamento e, quando há consciência desse processo sem escolha, quando não há sentido de resistência, quando não há condenação nem justificação do que é observado, então vemos que a mente é o centro do conflito.

Compreendendo a mente e os caminhos da mente, o consciente, bem como o inconsciente. Pelos sonhos, por cada palavra, por cada processo de pensamento e ação, a mente se torna extraordinariamente quieta, e essa tranquilidade da mente é o início da sabedoria. A sabedoria não pode ser comprada, não pode ser aprendida, ela surge apenas quando a mente está quieta, completamente imóvel – não imobilizada pela compulsão, coerção ou disciplina. Só quando a mente está espontaneamente silenciosa é possível compreender aquilo que está além do tempo."

- Krishnamurti, Collected Works, Vol. VI,206, Choiceless Awareness

Se você sabe quais são seus valores pessoais e sua visão de futuro, ou seja, aquilo que você não abre mão, não precisa fazer escolhas. Já colocou a sua visão de futuro no papel? E os teus reais valores, sabe quais são? Talvez a Bússola Interna seja uma ferramenta que possa te ajudar a orientar as suas escolhas. 

Dia 10/08 vai ter a próxima edição do workshop da Bússola Interna e compartilharei as dicas para preencher a sua Bússola Interna, para se sentir mais realizada, livre e autônoma. Clique aqui para fazer a sua inscrição pelo Cinese

Aqui, algumas informações sobre o workshop:

Criando seu trabalho com significado 

Quando: 10/08

Onde: Butantã - SP

Valor: R$ 120,00