A Arte de Falar Sim para o que Importa

"Por que é mais difícil falar sim para o que queremos do que falar não?" pode parecer uma pergunta esquisita, mas, se pensarmos com calma, ela faz sentido.

Frases comuns, como:  "Aceitei vários projetos e percebi que eu não vou dar conta de fazer tudo!" ou "Topei trabalhar em qualquer lugar que me pagasse uma grana decente, mas to me sentindo infeliz" são falas típicas da sociedade contemporânea, não é?

Agora, vou te contar qual é o principal motivo para tanta frustração: a falta de orientação para com nós mesmos. Quando não temos clareza quem somos e qual é o nosso norte, fica mais difícil dizer "sim" para o que importa e "não" para todo o resto.

Um bom começo para fazer a engrenagem da vida girar corretamente é pensar que o futuro que você quer criar deve necessariamente ter início nas suas ações cotidianas. Pensando assim, você consegue se dar conta de quais são os seus valores e o que você não abre mão no seu caminhar.

Por exemplo: eu quero viver um mundo mais livre e autossustentável para que eu possa fazer o que amo de forma autônoma, significativa e saudável para a sociedade. Minhas ações cotidianas sempre se voltam a esse pensamento. E, vamos combinar? Quando a gente manifesta uma vontade para o universo, ele começa a mandar pra gente aquilo que a gente pediu. Não é verdade?

O "sim" serve para aquilo que acreditamos e valorizamos. Quem tem clareza do significado que está por trás do seu trabalho está se orientando pelo seu propósito. Aquele que não está se orientando pelo seu propósito, está desnorteado. Greg McKeown, no seu livro "The Disciplined Pursuit of Less" classifica os "Desnorteados" como "Não Essencialistas" e, consequentemente, os "Orientados" como "Essencialistas".

Já parou para pensar o que engloba o seu "sim"? Você sabe o que é essencial para você? Quando souber, você vai conseguir eliminar com facilidade aquilo que não faz sentido e aprender a falar "não" com gosto para tudo aquilo que não estiver alinhado com o que você acredita. Dessa forma, a sua energia e o seu tempo estarão focados no que for essencial realizar.

 

 

Um simples hábito de falar "Tenho que" ao invés de "Quero" nos coloca no piloto automático. Por isso, essa expressão saiu do meu vocabulário. Prefiro usar o "quero" para me conscientizar e penso duas vezes se eu realmente desejo fazer aquela ação.

Tenho que versus Quero - Lella Sá

Porém, quando passa a usar o "quero" de forma inconsciente, voltamos no piloto automático do "tenho que". Portanto, usar o "vou" me ajuda a ter noção do espaço e do tempo para, de fato, realizar aquela ação.

 

Quer falar "sim" para o que realmente importa e quer fazer o seu plano de transição? Eu posso te ajudar a formular a sua visão de futuro, levantar os seus valores e compreender para que você está à serviço.

 

 

 

Aqui vão algumas opções de como posso te ajudar:

Se você deseja conhecer ferramentas que orientam a criar um Trabalho com Significado:

Workshop "Criando seu Trabalho com Significado" dia 28/01. Clique aqui e se inscreva.

Se você deseja compreender suas questões:

Imersão "Criando uma Vida com Propósito" dia 22 e 23/02. Clique aqui e se inscreva.

Se você quer viver seu "SIM":

Programa "Conectando Pontos" dia 9/03 a 31/05. Clique aqui e se inscreva.