Meu processo de transição

"Quero sair do meu emprego para fazer algo que me dê mais sentido, mas como vou largar o garantido pelo improvável?". Aposto  que todo mundo já se fez essa pergunta. A insatisfação existe, mas a gente não costuma saber por onde começar, não é mesmo?

No post de hoje, vou contar como foi a minha transição e mostrar algumas fases arquetípicas que fazem parte de toda transição, para que você também aprenda a olhar para dentro de si e saiba identificar com mais clareza onde você está e onde quer chegar.

FASE 1 - FALTA DE SENTIDO - Criar um objetivo

Começou em 2005 quando eu era modelo internacional na Ásia. Tinha algo que faltava mesmo ganhando muito dinheiro, sendo bem sucedida na carreira e fazendo tudo com "um pé nas costas". Era cômodo, mas faltava sentido. Não sabia por onde começar, queria trabalhar com outra coisa. Foi então que me dei conta do início do meu processo de transição. Na época, eu morava na Tailândia e me mudei para o Brasil com o objetivo de resgatar minhas raízes culturais e me recriar como pessoa. Dia 28 de abril de 2006 eu comecei uma nova fase.

FASE 2 - INSATISFAÇÃO - Abrir o campo de possibilidades

Resgatar minhas experiências passadas para compreender aquilo que fazia sentido era o cerne da questão. Precisava entender quais eram meus talentos e paixões, prioritariamente. Busquei relembrar das minhas habilidades e dos meus sonhos.

Meu interesse era estudar marketing social para "propagar" produtos e serviços com propósito, mas por conta de não ter essa faculdade no Brasil, entrei na faculdade de Organização de Eventos por entender que seria uma ferramenta para promover experiências transformadoras. Comecei por baixo, era estagiária de empresas como Cartoon Network, Zurich, Rodobens, Warner Bros entre outras. Nessa fase aproveitei para experimentar tudo e aprender com as experiências adquiridas.

FASE 3 - INCÔMODO - Escolher opções que fazem sentido

Logo vi que fazer eventos promocionais já não estava me preenchendo o suficiente. Então, em 2008, começei a escrever projetos de eventos que tinham o objetivo de atribuir significado no trabalho e na vida, para colaboradoras que passavam a maior parte do seu tempo em grandes centros de distribuição. No mesmo ano, surgiu a oportunidade de produzir uma caravana pelo Brasil para realizar atividades em 35 universidades em 27 estados para falar sobre saúde, educação e cultura. A programação era ampla e eu sabia que poderia aprender em diversos sentidos. Passei a organizar debates com assuntos polêmicos, rodas de conversas com pontos de cultura, cinemas e shows. Ampliei minha visão de mundo e durante 6 meses intensos convivi com pessoas diferentes. Tive a certeza de que o meu lugar era vinculado à educação e ao desenvolvimento humano.

Como eu ainda não tinha as habilidades necessárias para tal, decidi fazer uma pós-graduação em Gestão de Projetos e Lideranças de Equipe em 2010. Além disso conheci a Hub Escola e ajudei na comunicação de 56 workshops com os temas de desenvolvimento humano, inovação e empreendedorismo. Mergulhei fundo.

Nessa fase, foi importante entender quais eram minhas necessidades e meus valores para que eu pudesse aos poucos refinar minhas próximas experiências. Já estava próxima da área que queria atuar. Então, precisei ousar.

FASE 4 - DESAFIANTE - Refinar o que importa

Para oferecer a outras pessoas oportunidades voltadas para a transição de carreira, precisava comprovar que aquilo era realmente possível. Então, depois de me formar em Negócios Sociais pela Usina de Ideias da Artemísia, fui empreender.  

Em 2011, co-fundei a IOU junto com dois sócios que já tinham as habilidades de facilitação de grupos e coaching, empreendia workshops, cursos, consultoria e viagens.

Comecei na parte de produção e aos poucos migrei para a facilitação de grupos e ministrava workshops. Depois de um ano e meio de muito trabalho, resolvi explorar outros meios e afinar as minhas habilidades. Em 2012, fui fazer parte da ADIGO para realizar processos de mudanças organizacionais.

Paralelamente, iniciei o movimento EvoluSomos e fui embaixadora da Sandbox. As duas organizações que me ajudaram a colocar em prática o que estava aprendendo na ADIGO para me aperfeiçoar na Facilitação de Grupos. Nessa fase me comprometi em aprofundar naquilo que fazia sentido, buscando aprendizados específicos.

FASE 5 - CLAREZA - Dedicar para se realizar

Desde 2013, me encontro numa fase de sustentação e me dedico integralmente no aperfeiçoamento do meu olhar em relação a processos de mudança e transição para viver uma vida com propósito. Através da minha experiência de vida, dos meus estudos relacionados à antroposofia e à observação goethianística, das técnicas de coaching e da facilitação de grupos, ajudo quem está na busca do Trabalho com Significado para um Estilo de Vida com Propósito.  

Acredito que sempre estaremos em processo de transição e portanto mudamos constantemente. O tempo é relativo e estruturado como um espiral, fazendo com que o processo de transição aconteça de forma cíclica. Se vida é movimento, mudança é consequência. Você tem clareza da onde se encontra nesse processo de transição? Ainda não? Esse esquema foi feito para você se localizar na sua transição e pensar nos próximos passos.

Proceso de Transição - Lella Sá