Alguns aprendizados que tenho tido ao conciliar a maternidade com o trabalho

ALGUNS aprendizados que tenho tido ao conciliar a maternidade com o trabalho

Vou lidar constantemente com o improviso.

A maternidade me trouxe a nítida noção do que é não ter controle das situações. Não precisa de muito, basta uma fralda suja quando estou descendo o elevador para ir a uma reunião. A cabeça já começa a maquinar para conseguir cumprir com o horário sem deixar de trocar a fralda.

Assim como é com um nariz entupido, uma dor de ouvido, cólica, cansaço, irritação, manha, dente nascendo: paramos tudo para dar colo, cuidar deles e dar carinho e atenção que eles merecem.

Seja de noite ou de dia, nosso desempenho e nossa agenda já precisam ser readequadas.

Preciso cuidar para não me cobrar excessivamente

A consequência dos improvisos é a cobrança. Devido aos acontecimentos não esperados, não há condições de cumprir com tudo o que planejamos fazer. Seja para dar conta da casa, do trabalho ou até mesmo de ir a manicure ou receber uma massagem. Precisamos sempre nos lembrar o que conseguimos dar conta e que cuidar dx filhx também é uma super tarefa.

Estou constantemente aprendendo a não posso comparar a minha produtividade no trabalho com a de quem não tem filho. Se não, vou me deparar com uma constante frustração.

Fico me lembrando que meu tempo agora é ocupado por tardes de brincadeiras com meu filho e, por consequência, o tempo dedicado ao trabalho é bem menor do que era antes. Ler, ver uma série ou dormir também são necessários para relaxarmos. Eu quero conseguir fazer mais disso sem culpa e te convido a fazer o mesmo!

Se estiver bem comigo mesma vou estar melhor para meu filho

Embora eu ainda tenha dificuldade de me colocar com a mesma ordem de prioridade,  fazer uma massagem, meditar, tomar um chá com as amigas também é tão importante quanto o trabalho e arrumar a casa.

Ter um espaço na agenda para cuidar de nós mesmas é essencial. Se você, assim como eu, se coloca por último na lista, precisamos melhorar. Devemos nos sentir merecedoras e pedir ajuda à nossa rede de apoio. Afinal, filhos estão aí para serem criados por várias pessoas. Ser a única referência para a criança também não é saudável.

A culpa, frustração e a cobrança SÃO DESNECESSÁRIAS

Três palavrinhas que são malditas, mas estão aí para nos ajudar a identificar quando esses sentimentos que acontecem. No meu caso, me sinto culpada, frustrada e por consequência me cobro mais em relação aos dois movimentos opostos: ficar com meu filho ou trabalhar? São as duas atividades que mais quero fazer durante meus dias e me pego muitas vezes buscando o equilíbrio delas.

PRECISO ME SENTIR ProdutivA dentro do tempo que disponibilizO para o trabalho

Por que nos cobramos tanto em ser profissionais de alta performance e também mães incríveis? Como aproveitar o que cada fase nos oferece? Será que conseguimos produzir com qualidade em curtos períodos de tempo? Como viver no fluxo sem gerar frustração?

Estou em busca de respostas para essas questões. Por ora acredito que quanto mais organização tenho, mais fácil é seguir o fluxo.

Para ter acesso a um material com dicas sobre produtividade que construí a partir destes aprendizados, clique aqui

Se você gostou do texto, clique no ❤ aí embaixo. Fazendo isso, você ajuda essa história a ser encontrada por mais pessoas.

Quer se aprofundar no tema trabalho & maternidade? Conheça o Impulso Materno